fbpx

Tendências de marketing digital para 2020

Tendências marketing digital 2020

Escrever sobre tendências de marketing digital é sempre um grande desafio, já que aquilo que damos por certo hoje, amanhã pode já ter mudado. De qualquer forma a criação de um artigo sobre tendências permite-nos não só distanciarmo-nos da rotina habitual do dia a dia, mas também parar para pensar como vamos evoluir o nosso negócio e agarrar as oportunidades que vêm aí.

Sempre com o objetivo de identificar as ferramentas, técnicas e táticas digitais que nos vão ajudar a atrair tráfego contínuo, conquistar mais leads, melhorar a relação com potenciais clientes e, claro, fidelizar os já atuais, de forma a aumentar a consideração das marcas, produtos e serviços dos nossos clientes.

Para nós, existe um risco claro em ignorar as novas tendências de marketing digital: ficar para trás naquilo que os nossos clientes esperam de nós. Sendo assim, criámos este artigo não só para nos mantermos atualizados, mas também para ajudarmos todos os marketers a saber quais são as tendências que se mantêm em 2020 e também aquelas que começam a surgir agora.

Tendências digitais que se mantêm em 2020

É verdade que todos os anos surgem novas tendências, mas isso não quer dizer que tudo vai mudar de repente. Mostramos-lhe 3 tendências que, apesar de não serem novidade, vão continuar a evoluir no futuro.

1. Utilização de chatbots

Há quem diga que o serviço ao cliente é o marketing do futuro. Se for esse o caso, os chatbots ajudam (e muito). Este tipo de tecnologia permite às empresas gerirem o contacto com os clientes de uma forma totalmente automatizada e cada vez mais pessoal.

Artigo recomendado: O que são Chatbots?

2. Pesquisas por voz ou voice search

Este tipo de pesquisa cresce à medida que cada vez mais utilizadores (principalmente os mais novos) usam assistentes digitais como a Alexa da Google ou a Siri da Apple. Isto faz com que a sua estratégia de SEO também tenha de adaptar-se a esta nova forma de pesquisa, juntando termos mais informais e quotidianos às keywords ou palavras-chave já utilizadas.

Para ter uma ideia, de acordo com a Comscore, 50% de todas as pesquisas serão realizadas por voz durante o ano 2020 (o número pode parecer um pouco ambicioso… mas estudos são estudos).

3. Vídeo, realidade virtual e realidade aumentada

Estes são dos formatos de conteúdo mais simples para “satisfazer” um utilizador que procura informação rápida e original. Mas mais do que um simples vídeo de autopromoção de empresas ou serviços, o que o seu potencial cliente pretende são vídeos que respondam às suas necessidades e que possibilitem experimentar novas dinâmicas sem sair de casa.

Então e as novas tendências de marketing digital para 2020?

1. Segmentação ou super-personalização = Ampliação de Conversões

A personalização não é uma estratégia propriamente nova no marketing (quem não se lembra da teoria dos 4 Ps? Toda a base dessa teoria tinha a segmentação como ponto de partida), mas se pensarmos na quantidade de novos canais que temos à nossa disposição, apercebemo-nos que também existem cada vez mais formas relevantes para chegarmos ao nossos potenciais clientes.

Atualmente, num mercado onde existe cada vez mais informação sobre os hábitos e atividades do público, é obrigatório que as empresas se foquem em criar conteúdos cada vez mais segmentados, não só pelo perfil das pessoas mas também pelo momento de compra em que se encontram.

Quanto melhor conhecer o seu público-alvo (necessidades, desejos, ambições, problemas e ocupações), mais personalizado será o seu conteúdo. Não se esqueça que, no final do dia, o grande objetivo de marketing deve ser prestar uma experiência inesquecível aos seus clientes e potenciais clientes. Se já tem todas as ferramentas que precisa (SEO, automação de marketing, marketing de conteúdo, etc.) do que é que está à espera?

2. Instant Messaging

O Instant Messaging aumenta anualmente de forma considerável, tendo atualmente o mesmo peso que as redes sociais para os Millennials… Esta tendência mostra que os clientes preferem comunicar com as marcas através mensagens diretas/diálogos, em vez de utilizarem emails ou SMS, onde geralmente existe um delay entre pergunta e resposta. Simplificando: os utilizadores preferem, cada vez mais, um tipo de comunicação direta e em tempo real.

3. Análises de sentimentos e reações da audiência + Inteligência Artificial

Hoje em dia, tão importante como a forma como chegamos ao nosso público-alvo, são as reações que despertamos nas pessoas que são impactadas pela nossa comunicação. Será que acharam a mensagem relevante? Será que sorriram? Será que se sentiram ofendidas?

Até há bem pouco tempo, não era fácil conseguirmos saber quais as reações que despertámos nas pessoas com uma campanha específica, mas, atualmente, tudo isso é possível através de algo chamado Inteligência Artificial.

A inteligência artificial é, de uma forma simples, uma combinação entre técnicas de Processamento de Linguagem Natural (PLN) e técnicas de Machine Learning, e permite criar ferramentas capazes analisar os sentimentos das pessoas tendo por base aquilo que escrevem e como o escrevem.

Imagine um post de Facebook. Através das métricas, consegue saber o número de pessoas que partilhou uma publicação, fez like ou pediu para não a ver novamente, mas, à medida que o volume de interações sobe, torna-se mais difícil analisar com precisão os sentimentos reais dos utilizadores.

É aqui que entra a inteligência artificial. Ao analisar e classificar os comentários como positivos, negativos ou neutros, com base na forma como os utilizadores escrevem e reagem, consegue estabelecer uma média do sentimento geral da audiência.

Se souber quais são os conteúdos que os seus potencias-clientes e clientes mais valorizam, melhor será a sua relação com os mesmos.

4. Marketing de conteúdo + Inbound Marketing

O marketing de conteúdo mantém-se como uma das principais tendências do marketing digital. A melhor forma de as marcas estabelecerem a sua autoridade e ganharem a confiança dos consumidores é através da criação de conteúdos que adicionem valor, conhecimento e informação ao dia a dia das pessoas.

O Inbound Marketing (que ainda é pouco utilizado em Portugal mas que já é uma referência em todo o mundo na obtenção de resultados) permite que uma empresa construa um relacionamento com seu público-alvo e conquiste a confiança e preferência das pessoas. Basta ver as estatísticas de resultados obtidos com inbound marketing e conteúdos.

E se precisar de mais motivos, tem um que é sempre válido! Mesmo que trabalhe com os melhores profissionais, as estratégias focadas em campanhas pagas estão cada vez mais caras enquanto as campanhas de Inbound Marketing chegam a custar 60% menos. Para além disso, perduram no tempo e atingem resultados surpreendentes.

Artigo recomendado: O que é o Inbound Marketing?

5. SEO – Evolução de Topic Clusters e Pillar Content

Search Engine Optimization ou, em português, otimização para motores de pesquisa, vai manter-se como o grande responsável pela visibilidade orgânica das marcas. Isto tem duas implicações diretas nas marcas:

  • Por um lado, permite uma contínua redução dos custos com estratégias pagas (Google Ads, Programatic Advertising, Social Media Ads, ect.);
  • Por outro lado, permite obter um tráfego cada vez mais qualificado com conteúdos centrados nos utilizadores.

Apesar de parecer um trabalho fácil, alerto que as constantes atualizações de algoritmos do Google obrigam a frequentes adaptações de estratégias de SEO. Estas alterações não são mais do que uma adaptação da tecnologia aos novos hábitos de consumos.

O que são topic clusters e Pillar Content

Os topic clusters são partes do conteúdo que estão num blog ou website vinculados a um assunto comum e abrangente (conhecido como pillar content). Todos os topic clusters funcionam para fornecer informações alargadas sobre um determinado pillar content, que está, geralmente, focado numa palavra-chave ampla e com um grande volume de pesquisa.

Ao contrário do pillar content, os topic clusters estão focados em palavras-chave mais específicas, com volumes de pesquisa menores e menos concorrência, tornando-as mais facilmente posicionáveis e atingíveis.

Para perceber melhor, vamos utilizar o nosso exemplo enquanto agência de inbound marketing:

  • Pillar content (keyword mais abrangente):
    – “Inbound Marketing” – cerca de 1000 pesquisas mensais.
  • Topic clusters (keyword mais específicas):
    – Estratégias inbound – entre 10 e 100 pesquisas mensais
    – Inbound Marketing para IT – entre 10 e 100 pesquisas mensais
    – Marketing de atração – entre 10 e 100 pesquisas mensais
    – Como construir estratégias de inbound – entre 10 e 100 pesquisas mensais

O segredo é criar conteúdos que respondam a todas estas pesquisas mais específicas e, depois, ligar os artigos (através de uma estratégia de internal linking) ao tema principal “Inbound Marketing”, que pode ser uma página específica do site ou um artigo do blog.

Esta estratégia vai permitir não só uma melhoria do posicionamento do seu site nos motores de busca como ajudar a criar uma base de conteúdos mais rica.

Artigo recomendado: Como criar uma estratégia de conteúdos eficaz para B2B

6. Automação de Marketing

Com o crescimento e evolução do software de automação de marketing (o Hubspot é um excelente exemplo), a oportunidade que as marcas têm de estar em constante ligação com os consumidores passa a ser uma realidade absoluta. E, como hoje em dia passamos mais tempo do que nunca em frente a um dispositivo, torna-se evidente a crescente importância da automação para as empresas.

Utilizar ferramentas e estratégias de automação de marketing permite:

  • Oferecer uma experiência personalizada a todos os utilizadores do website;
  • Sugerir conteúdos personalizados de forma automática a cada visitante;
  • Gerar leads a partir de landing pages personalizadas e páginas de agradecimento;
  • Identificar as leads “mais quentes”/hot-leads;
  • Reduzir o abandono em websites e especialmente no carrinho (e-Commerce);
  • Segmentar clientes em diferentes canais;
  • Aumentar o valor da vida útil do cliente;
  • Melhorar a divulgação de conteúdos;
  • Reduzir custos e economizar tempo;
  • Melhorar a retenção e a fidelidade do cliente;
  • Usar chatbots com inteligência artificial para melhorar a experiência do utilizador;
  • Prever o comportamento do cliente com Propensity Modeling e Predictive Analytics.

Abro aqui um pequeno parênteses para ajudar à compreensão destes dois conceitos:

  • Propensity Modeling

Correlaciona as características do cliente com comportamentos ou previsões de próximos passos, como a sua propensão em abrir um email de marketing, inscrever-se num programa ou participar em questionários. Quanto melhor for a qualidade dos dados dos clientes melhor será também a eficácia da segmentação.

Aplicar este tipo de estratégia a cada um desses segmentos de clientes vai permitir não só obter mais vendas a curto prazo, como melhorá-las a longo prazo, através de campanhas proativas e oportunas de cross selling e upselling.

  • Predictive Analytics

É composto por uma variedade de técnicas estatísticas que analisam factos atuais e históricos com o objetivo de obter previsões sobre situações futuras. Permite às marcas “adivinharem” aquilo que os seus clientes vão ambicionar no futuro.

Artigo recomendado: Glossário de inbound marketing

7. Lead Scoring

Muito possivelmente não devia considerar o lead scoring uma tendência, mas como ainda existem muitas empresas que não utilizam esta estratégia, decidi destacá-la neste artigo. De uma forma muito simples, o lead scoring permite classificar leads e/ou clientes por pontos, permitindo determinar quem está ou não pronto para a compra. É imprescindível em qualquer estratégia de marketing digital para definir as Marketing Qualified Leads (MQL) e as Sales Qualified Leads (SQL).

A pontuação é definida com base no perfil e ações (download de materiais, visualizações de páginas, abertura de emails, cliques em páginas e emails, etc.) da lead em comparação com a buyer persona definida.

Como é que o lead scoring pode ajudar na sua empresa?

  • Diminui o custo por aquisição de cliente;
  • Aumenta a produtividade, através da criação de workflows de nutrição automatizados.

Artigo recomendado: Como definir as Marketing Qualified Leads

8. Posição Zero e Rich Snippets

Como já referi antes, o SEO vai continuar a ser um dos elementos mais importantes em qualquer estratégia de marketing digital, sendo muito importante acompanhar as alterações impostas pelos principais motores de pesquisa, como o Google.

Com o crescimento da pesquisa mobile e por voz, as pessoas estão a mudar a forma com utilizam motores de pesquisa, o que mudou o paradigma das estratégias de SEO atuais. Hoje em dia, tão ou mais importante do que ser número um nas páginas de resultados, é aparecer nos Snippets.

Já deve ter reparado que a apresentação dos resultados a uma pesquisa foi significativamente alterada. Atualmente, em quase todas as pesquisas que realiza, sem sequer entrar num website, vai receber um resultado muito simples e rápido que provavelmente responde à sua dúvida/pesquisa. São os famosos Snippets, que aparecem na “posição zero”, antes dos resultados pagos e orgânicos.

Tal como em muitas outras técnicas de SEO, seja devido às constantes alterações do algoritmo ou apenas por serem uma novidade, não existe uma receita infalível para colocar a nossa marca na posição zero do Google, por isso a única forma é mesmo continuar a acompanhar as tendências e querer saber sempre mais.

E pronto, estas são, na minha opinião, as principais tendências de marketing digital para o ano 2020. Como pode ver, todas elas têm por base a criação de conteúdos relevantes para aproximar as marcas dos consumidores. Se quiser saber mais sobre inbound marketing e como podemos ajudar a sua empresa a atingir melhores resultados a médio/longo prazo, fale connosco.

 


Faça download do nosso ebook e transforme o seu site numa máquina de gerar leads.
Dicas geração leads inbound marketing